Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Sperare

Sperare

18
Mar22

Oração a Sao José pelas familias refugiadas

Maria Oliveira

 

Oração a São José para quando você for viajar

Nestes tempos tão dificeis que o mundo inteiro vive, dirijo me a ti, José, como um pai que viveu toda a espécie de situações, doces e amargas; Sabes o que é deixar para trás casa e terra, história e memórias, procurando um lugar seguro para a família.

Peço- te nosso justo Pai José que consoles e fortaleças: cada pai que saiu de casa à procura de trabalho para sustentara sua família, cada  pai que enviou os seus filhos para longe, para os salvar da guerra; quando penso em ti e em Maria, na vossa fuga para o Egipto para poteger Jesus, o que tiveram de suportar, o medo e a ansiedade , as humilhações e as preocupações.

Dirijo-me a ti, como a um pai amoroso, que trabalhou arduamente pela sua família. Coloco nas tuas mãos todas as nossas familias , especialmente as que estão refugiadas em terras longiquas; Portege-as e dá-lhes as oportunidades necessárias para viverem com dignidade e segurança ; para que as famílias desfeitas se reunam no amor e na boa vontade ;

Por fim, ponho no saco que carregam, os sonhos e esperanças de um mundo que ainda vive as dores do parto e aguarda a salvação ; 

Irmã Annie Dmerjian 

09
Mar22

vale a pena rezar em tempo de guerra ?

Maria Oliveira

    

Há demasiadas guerras na história do mundo para que possamos olhar para a oração como o remédio secreto que cala as armas. Então, para quê rezar em tempo de guerra? 

Se eu rezar, haverá menos tiros? A pergunta podia ser de uma criança e fere a dobra dos nossos joelhos. Há demasiadas guerras na história do mundo para que possamos olhar para a oração como o remédio secreto que cala as armas. Então, para quê rezar em tempo de guerra?

Confessar (lamentar) a nossa impotência

Nos salmos há lugar para o lamento e para o protesto, para questionar Deus “Senhor porque te conservas à distância e te escondes nos tempos de angústia?” (Sl 10, 1). Diante da nossa impotência, da insegurança que nos abala, grita a nossa incredulidade. Poder fazê-lo em verdade, estando na presença de Deus sem esconder a nossa perplexidade e a nossa mágoa (raiva) é um exercício de autenticidade que nos expõe a Deus, oferecendo-lhe a nossa verdade. Somos criaturas e há momentos em que confessá-lo desde a escuridão é deixar que se rasgue a fenda pela qual a luz pode entrar. “There is a crack, a crack in everything.” (Leonard Cohen)

Seja feita a Tua vontade

Por vezes, rezamos como se Deus pudesse bloquear os botões da guerra. Esperamos talvez por um deus do olimpo que, atuando de acordo com a intensidade de estímulos humanos, pudesse ir resolvendo o mundo através de intervenções pontuais (Pedro Castelao). Deus está, conhece, acompanha, inspira, mas não pode fazer por nós. Não é Ele que pode parar os tiros. Recordo o jesuíta francês François Varillon que, na bênção da refeição, ao ouvir a oração “Senhor dá aos pobres o pão de cada dia” imaginava em surdina a resposta de Deus: “Dá-lhes tu!” No Pai Nosso pedimos que seja feita a vontade de Deus para que aprendamos a aderir a ela. Não pedimos para resolver o mundo (não poderíamos), pedimos seja feita a Tua vontade. A vontade de Deus é salvar e reconciliar. A vontade de Deus é a paz. Como posso aderir a essa vontade neste tempo em que vivo? Que outra pergunta poderíamos fazer na nossa oração?

Não rezamos sozinhos

Rezamos e reforçamos os laços de pertença. Rezamos para que o nosso olhar não fique colado ao chão, para que mundo ferido alargue o nosso horizonte e convoque a nossa atenção e os nossos gestos. Rezamos e sabemos que os membros injustamente maltratados e violentados pertencem ao corpo da nossa humanidade. Rezamos para não nos esquecermos que somos todos irmãos. 

Receber um coração de carne

“Dar-lhes-ei um coração novo e infundirei no seu íntimo um espírito novo. Arrancarei do seu corpo o coração de pedra e dar-lhes-ei um coração de carne”. (Ez 11, 19) Sim, podemos deixar que as nossas emoções sejam tocadas pelo espírito. Podemos pedir para que a raiva e a confusão não se transformem em ressentimento e vingança. O modo como algumas pessoas russas têm sido tratadas deixa-nos em estado de alerta, e mostra-nos como é importante rezar se queremos ter em nós “os mesmos sentimentos, que estão em Cristo Jesus” (Fl 2, 5). A sensibilidade de Jesus não é em nós de geração espontânea. É certamente graça gratuita de Deus, mas pede abertura ao Espírito que pode mudar o nosso coração e moldar os nossos gestos.

Rezamos. Deixamos que a nossa solidão seja habitada por Deus. Assumimos sem voluntarismos o desejo de que através de nós a vontade de Deus se cumpra. Reconhecemos no rosto magoado de tantas irmãs e irmãos a presença que nos convoca.

Rezamos e pedimos que a guerra termine em nós, pedimos para que a nossa resposta ao mal seja o bem. Não sabemos quando param os tiros. Sabemos que podemos amar. É para isso que rezamos, para aprender a amar, pedindo o coração de carne que as nossas mãos são incapazes de criar.

 retirado de https://pontosj.pt/especial/se-eu-rezar-havera-menos-tiros/ 

18
Mar20

Salva-nos Oh Mãe, Sede Esperança em Portugal e no mundo, nestes momentos!

Maria Oliveira

    Senhora da Bonança, com fé, de mãos pedintes, desprotegidas, imploramos a teu Filho: «Senhor, salva-nos!» (Mt 8,25).No meio da tempestade do coronavírus, quais filhos e filhas indefesos, porque o nosso corpo é frágil, e a nossa vida está em risco, gritamos por socorro:

Conforta-nos, protege-nos e ampara-nos, Senhora da Bonança.

Ampara e conforta os doentes em seu isolamento, sobretudo os mais vulneráveis e indefesos, os idosos, os doentes crónicos, aqueles que estão em maior perigo.

Ampara e protege as nossas famílias, para que saibam reorganizar horários, inventar formas de relação próxima, quantas vezes em casas pequenas.

Ampara e cuida dos que possam ter o seu sustento em perigo. Vela pelo são equilíbrio entre avós e netos, pais e filhos, maridos e esposas.

Ampara e fortaleze todas as pessoas que prestam cuidados de saúde, atendem e prestam o socorro: médicos, enfermeiros, bombeiros. Possam ser preservados, em sua saúde, para melhor tratar e cuidar da saúde de todos nós.

Ampara e protege, todos os homens e mulheres que, asseguram o abastecimento dos alimentos, para que nunca nos faltem os bens necessários.

Ampara as forças de segurança que protegem pessoas e bens, nestas horas de maior vulnerabilidade.

Dá discernimento, sabedoria e coragem aos governantes para que saibam tomar as decisões certas no momento oportuno, procurando sempre uma justiça social, cuidando da segurança e do bem-estar das pessoas e das famílias mais lesadas e sacrificadas.

Senhora da Bonança, consola-nos a todos nesta hora de prova, de solidariedade e de compaixão partilhada. Ajuda-nos a sermos todos responsáveis pelo bem comum que é a nossa saúde. Tão frágil e tão necessário.

Amén!

17
Mar20

Nada te perturbe ! (nestes tempos de desânimo) ; Nada é maior que Deus

Maria Oliveira
Eleva o pensamento, ao céu sobe
Por nada te angusties, nada te perturbe
A Jesus Cristo segue com coração grande
E venha o que vier, nada te espante
Vês a glória do mundo? É glória vã
Nada tem de estável, tudo passa!
Nada te perturbe, nada te espante, tudo passa!
Aspira às coisas celestes, que sempre duram
Fiel e rico em promessas, Deus não muda
Ama-o como merece, bondade imensa
Mas não há verdadeiro amor, sem a paciência!
A confiança e fé viva mantém a alma
Quem crê e espera, tudo alcança
Deus não muda! A paciência... tudo alcança!
Do inferno acoçado, embora se veja
Enganará seus furores, quem a Deus tem
Que lhe venham desamparos, cruzes e desgraças
Sendo Deus, o seu tesouro, nada lhe falta!
Ide, pois, bens do mundo, pois tudo é nada
Ainda que tudo percas, só Deus basta!
Quem a Deus tem, nada lhe falta
Só Deus basta!
 
Fonte: Musixmatch
13
Mar20

Oração (contra o combate proteção contra o vírus)

Maria Oliveira

Oração

Senhor Jesus, Salvador do mundo,
esperança que não conhece a desilusão,
tem piedade de nós e livra-nos do mal!
A Ti imploramos a vitória
sobre o flagelo deste vírus que se está a difundir,
a cura dos doentes,
a proteção dos que estão sãos,
o auxílio para quem presta cuidados de saúde.
Mostra-nos o Teu Rosto de Misericórdia
e salva-nos com o Teu grande amor.
Tudo isto te pedimos por intercessão de Maria,
Tua e nossa Mãe, que fielmente nos acompanha!
Tu que vives e reinas pelos séculos dos séculos. Amen!

(† Bruno Forte)

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2022
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Em destaque no SAPO Blogs
pub